ONLINE
2




Partilhe esta Página

 



Proclamas Matrimoniais

Confira aqui...


 


Pastoral do Dízimo
Pastoral do Dízimo

Dizimo

ORIENTAÇÕES PARA A EQUIPE DA PASTORAL DO DÍZIMO

 Não se implanta o dízimo por decreto. Tanto para a implantação como para a manutenção do dízimo é importante que a paróquia conte com uma “equipe missionária do dízimo”. Esta deve ser uma equipe bem formada e bem aceita na paróquia. Esta equipe deve ser preparada para que possa atuar com muita sintonia e organização, preferencialmente contando com representantes das diversas pastorais e movimentos da comunidade.

 Dízimo é uma pastoral

 A equipe da pastoral do Dízimo não pode ser considerada uma equipe secundária, ou um apêndice. Não se trata de uma equipe com a finalidade de captar recursos para a igreja ou administrar uma obra. Não se trata de um ato meramente financeiro-administrativo dentro de uma comunidade. É, isto sim, um trabalho Pastoral. É uma pastoral tão importante quanto a pastoral da Catequese, da Liturgia etc. Se a pastoral do Dízimo não vai bem, todas as outras são prejudicadas. A equipe, portanto, deve ter consciência de que esse é um trabalho pastoral.

Por isso, o _self objetivo da Equipe de Pastoral do Dízimo é evangelizar sobre o Dízimo. E isso deve ser feito de modo tal que todos os membros da comunidade se sintam solidários e co-responsáveis na manutenção da paróquia. Na verdade, para sermos fiéis à Bíblia, o Dízimo deveria ser a única fonte de recursos de uma comunidade de fé. Então, ele seria sinal de partilha e de comunhão, a exemplo das primeiras comunidades cristãs.

 Conhecimento do Dízimo.

 A equipe deve conhecer bem o assunto. Deve estar preparada para ajudar a esclarecer dúvidas sobre o Dízimo.

 O testemunho da equipe.

 Quem faz parte desta equipe precisa ser dizimista para valer. Tentar convencer a outros sobre algo de que não estamos convencidos não funciona. Quando vamos motivar os fiéis sobre o Dízimo, devemos falar da experiência própria, algo que sai de dentro com plena convicção. Todos devem dar testemunho.

 Disponibilidade para o dízimo.

 A equipe deve ter tempo para se dedicar à Pastoral do Dízimo. Preferencialmente nos dias em que há mais movimento na comunidade. Normalmente as missas são aos sábados e aos domingos. Antes e após as missas, a presença de elementos da equipe do Dízimo possibilita a contribuição dos dizimistas.

 Organização.

 A equipe deve ser bem organizada. É importante que na equipe haja alguém com experiência administrativa e contábil para ajudar nos relatórios, com experiência em informática, alguém com facilidade de comunicação oral e escrita para eventuais comunicados junto à comunidade, pessoas com boa espiritualidade e espírito de oração, pessoas criativas, alguém que se proponha a estudar o tema “dízimo” e partilhar com o grupo.

 Prestar contas à comunidade.

 Fazer prestação de contas do Dízimo na Comunidade, sempre com brevíssima mensagem positiva, valorizando os passos já dados e o crescimento feito nas metas financeiras e educativas da Pastoral do Dízimo.

 União.

 Todos os membros da equipe trabalharem juntos e de forma organizada, falando a mesma linguagem e seguindo a mesma orientação.

 Controle.

 Manter registro atualizado das contribuições dos dizimistas, preferencialmente em computador ou através de fichário e do documento de pagamento (carteirinha ou recibo).

 Sigilo.

 Manter sigilo sobre quanto cada um devolve em seu dízimo.

 Participação.

 Incentivar a participação nas reuniões paroquiais, assembléias e na elaboração do orçamento paroquial.

 Acompanhamento.

 Manter contato e acompanhamento aos dizimistas, indo a seu encontro, especialmente quando parecem estar se afastando da vida comunitária.

A equipe deve preparar uma mensagem especial para os dizimistas em atraso, lembrando-lhes o compromisso que assumiram na comunidade. Deve ser uma mensagem de lembrança e orientação e nunca de cobrança. O melhor mesmo é fazer uma visita para saber o que aconteceu. É possível que se trate de simples esquecimento, mas pode tratar-se de problema mais sério.

 Credibilidade.

 Quem deve falar de dízimo para o povo são os leigos. O padre deve dar suporte e apoio, pois passará sempre a idéia de uma pessoa que está falando porque não sabe as dificuldades porque passam as famílias.

 Espaço do Dízimo.

 Ter um local visível e acolhedor, de fácil acesso, para atendimento dos dizimistas, e recebimento do Dízimo, especialmente antes e após cada celebração e encontro comunitário, ou na secretaria.

 Plantão do Dízimo.

 É muito importante que haja o plantão do dízimo, feito por pessoas simpáticas, possivelmente uniformizadas ou com um crachá bem visível.

 Valorização do dizimista.

 A pastoral do dízimo deve fazer-se presente na vida do dizimista. Deve lembrar do aniversário natalício e de casamento, se entregar pessoalmente um cartão, tanto melhor.

 Material.

Para que possa desempenhar bem seu papel, a equipe do dízimo precisa contar com o material adequado à sua tarefa:

Ficha de cadastro, Bloco de recibo, Divulgação (Banner, cartazes, panfletos), Material para valorização do dizimista (folhinhas, brindes, presentes), Computador, Urna própria para o dízimo, Programa adequado para a informatização do dízimo, camisetas, etc.

 Oração.

 Rezar periodicamente a oração do Dizimista na Comunidade e ter momentos de oração em equipe. Sugestão: Rezar um terço nas intenções...

1- Dos dizimistas (para Deus prover sustento material e espiritual)

2- Dos paroquianos (para se tornarem dizimistas responsáveis e fiéis)

3- Da Equipe (pela união e motivação)

4- Da Paróquia (para que não falte recursos para a obra de Deus)

5- Da comunidade (para que os pobres, doentes e necessitados sejam assistidos com os recursos do dízimo)

 Pontos que ajudam a organizar o dizimo.

 - Escolher pessoas interessadas e convencidas do valor do dízimo.

- Preparar-se bem, vendo outras experiências onde funciona o dízimo.

- Sem nunca impor, mas ajudar a sensibilizar os fiéis por esta Pastoral.

- Esclarecer a comunidade por meio de palestras, faixas, folhetos e o bom uso dos Meios de Comunicação Social (feito tudo por leigos).

- Aproveitar o que existe: Novenas, Grupos de Reflexão, Capelinhas...

- Fazer celebrações litúrgicas sobre o dízimo. Pessoas dêem testemunho.

- Preparar fichas e cadastro da família dizimista. Não complicar nada.

- Antes e depois das celebrações, alguém da Equipe atende às pessoas sobre o dízimo, pois muitos aproveitam a ida à igreja para acertar seu dízimo.

- Lembrar sempre que o dízimo requer muita paciência, muita motivação e tempo. Não forçar, mas trabalhar a consciência dos católicos dando boa fundamentação bíblica.

- Deixar claro que quem atua na Equipe de Pastoral do Dízimo não deve preocupar-se em atingir o bolso dos fiéis, mas o coração deles.

- Não afastar ninguém da comunidade por causa do dízimo.

 

Fonte: Site da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora 

topo